Postado 13 de dezembro de 2017

Guia da Gestante Viajante

Ainda parece tabú, mas viajar durante a gestação – no terceiro trimestre, inclusive – pode ser uma decisão racional, planejada e autorizada pelo obstetra. Por causa de uma série de lendas, ainda é não é tão comum em várias partes do mundo. Eu mesma, antes de engravidar, achava que teria que encerrar as viagens no sexto mês.

No entanto, assim que engravidei, me deparei com uma série de dúvidas sobre as viagens neste período, que foram sanadas com pesquisas, consultas a especialistas e leitura das regras dos sites de companhias aéreas. Tudo isso, somado à experiência viajando até o oitavo mês de gestação, me dá agora base para responder as principais dúvidas que tive e sempre me perguntam sobre esta fase:

  • Até quando a grávida pode viajar de avião?

Todas as companhias aéreas pesquisadas permitem que as grávidas voem até a trigésima quinta semana de gestação, desde que apresente a autorização do médico. No último mês, a partir da trigésima sexta semana, para evitar o risco de um parto no avião, as companhias aéreas não permitem que as gestantes voem.

Na gravidez de múltiplos ou em caso de gravidez de risco, a restrição vale para os últimos dois meses, ou seja, não se deve mais voar a partir da trigésima segunda semana.

  • Quais são os documentos que a gestante viajante precisa levar?

O ideal é que, na consulta anterior à viagem, a gestante leve os números do vôos e aeroportos por onde passará (incluindo conexões), para que o obstetra inclua todos estes dados expressamente na autorização. Pegue duas vias, pois a companhia aérea pode pedir para reter o documento, como aconteceu comigo no trecho de ida quando viajei para Cancun na trigésima terceira semana (sim, eu tinha duas vias e deu tudo certo).

No embarque, apresente a autorização e assine o termo de responsabilidade que será entregue pela empresa aérea, que não quer se responsabilizar se algo der errado. É um procedimento simples que demora poucos minutos.

  • E viajar de carro?

Nesta fase (a partir da trigésima sexta semana), a data do parto está se aproximando e nem será mais considerado prematuro, então não convém ir muito longe da cidade onde quer que ele ocorra, por isso, recomenda-se suspender as viagens de carro nesta mesma época.

  • O que o obstetra fala sobre isso? E quanto às viagens longas?

“Gravidez não é doença, pode ir!” – Foi o que ouvi da minha obstetra, para meu grande alívio.

A principal orientação é usar meia calça de compressão média própria para gestante, se o vôo for acima de 4 horas, para evitar trombose. Você encontra a meia em lojas de artigos de fisioterapia ou online.

Observando isso, se a gestante estiver bem, sem gravidez de risco, não há nenhum impedimento para a viagem até a trigésima quinta semana.

Importante: não esquecer de levar vitaminas ou outros medicamentos que estiver fazendo uso!

  • O que a grávida pode comer durante a viagem?

Os cuidados que se tem na alimentação devem ser mantidos, o que pode exigir uma atenção maior:

– Comidas com muito tempero ou muito diferentes que possam lhe fazer passar mal, considerando essa fase que pode trazer maior sensibilidade, devem ser evitadas.

– Evite pimenta. Para alguns destinos, como foi um dos nossos, o México, em que muitos alimentos tradicionalmente são picantes, tenha o cuidado de sempre perguntar antes de experimentar algo.

– Caso você tenha optado por uma dieta saudável, os doces continuam não sendo recomendados. Troque a sobremesa por uma água de coco ou um suco de uma fruta que já seja naturalmente doce.

– Saladas cruas também merecer ser evitadas. Geralmente não sabemos como foi a lavagem e não vale o risco.

De resto, coma bem e aproveite a boa culinária à sua disposição!

  • E as malas?

Outro cuidado importante é com o peso a carregar: não carregue malas pesadas, peça ajuda sempre! As pessoas adoram ajudar as gestantes. Se o marido ou namorado for junto, uma boa combinação é essa: a mãe leva o bebê na barriga (ou ainda os outros filhos, se tiver) e a bagagem de mão e ele leva as malas. Foi o que fizemos e deu super certo! ??

  • Como a gestante aproveita essas viagens?

Curti a viagem grávida mergulhando em Cancun

As aventuras precisam ser um pouco mais comedidas: esportes radicais, brinquedos de velocidade e mergulhos de cilindro estão proibidos. Algumas atividades com animais, como nadar com golfinhos, são proibidas por alguns parques.

Mas as outras atividades estão permitidas! Caminhadas por pontos turísticos, saltos para tirar fotos, mergulho de snorkel, mergulho no rio, meditação, yoga, trabalho voluntário e dança na chuva: fiz tudo isso na minha fase de gestante viajante!

Quer ver?

Fiz mergulho de snorkel com tartarugas gigantes

 

Conheci as grutas e cenotes em Tulum

 

Tomei banho de rio (e fiz ensaio fotográfico com Isabela Paiva) na Bahia

Então, nada de lamentar e adiar a viagem: adapte os tipos de atividades e boa viagem!

Espero aqui inspirar e ajudar muitas gestantes a seguirem felizes e viajantes durante esse período marcante da vida. Está grávida e tem alguma dúvida ou insegurança sobre viajar nesta fase tão linda? Conta aqui nos comentários!

Já viajou grávida e tem mais alguma dica? Me conte!

Conhece alguma grávida que adora ou adoraria viajar? Encaminhe esse artigo para ela!

Gostou? Então salve para depois ou compartilhe com o seu mundo:
Comente via Facebook
Comente no Blog